Banco móvel: Biometria comportamental será a próxima etapa de autenticação em mobile banking

A forma como uma pessoa segura e digita em seu celular é única e pode servir para identificá-la. É a chamada “biometria comportamental”, que promete ser a mais nova forma de autenticação em aplicativos de mobile banking e pagamentos. Sua grande vantagem é permitir uma verificação silenciosa da identidade do usuário, sem que ele perceba. A Gemalto é uma das empresas que está desenvolvendo uma solução de biometria comportamental, como parte da sua suíte de serviços de autenticação, a Ezio.

“É monitorado o padrão para a realização de transações no celular. Acompanha-se a velocidade de digitação; se a pessoa digita com o celular na horizontal ou na vertical, com um ou dois dedos; e até mesmo a pressão na tela”, explica Sergio Muniz, diretor de vendas da Gemalto no Brasil.

Trata-se de uma solução que requer primeiro o armazenamento e a análise de um histórico de transações de cada cliente, para que seja possível definir o seu padrão de digitação. Feito isso, os bancos poderão começar a usar a solução como uma autenticação silenciosa adicional àquelas já existentes, para garantir ainda mais segurança às transações. Eventualmente, no futuro, a biometria comportamental poderia substituir alguma etapa de autenticação, para conferir mais convenciência aos usuários – desde que estes concordem.

A expectativa da Gemalto é ter a solução pronta enquanto produto ainda este ano. Até agora foram feitos apenas alguns testes de conceito em laboratório com alguns bancos parceiros. A Gemalto tem hoje diversos bancos utilizando diferentes meios de autenticação disponíveis na sua suíte Ezio no mundo, somando mais de 20 milhões de correntistas. Na América Latina se destacam Banrisul, Santander México e BBVA Bancomer.

Banco móvel: Biometria comportamental será a próxima etapa de autenticação em mobile banking