Conteúdo móvel: Apenas 18% dos usuários brasileiros já pagaram por um app

A compra de um aplicativo móvel ainda é algo raro entre os usuários brasileiros de smartphones. Apenas 17,6% deles declaram já ter pagado por um app, revela a nova edição da pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box. O hábito é mais comum entre usuários de iPhone: 35,2% já compraram apps. Entre aqueles com Android, apenas 16,4% informaram já ter pago pelo download de um aplicativo.

A pesquisa entrevistou ao longo do mês de abril 1.958 brasileiros que acessam a Internet e possuem smartphone, respeitando as proporções de gênero, idade, faixa de renda e distribuição geográfica desse grupo. A margem de erro é de 2.2 pontos percentuais. O grau de confiança é de 95%. O relatório completo da pesquisa pode ser baixado de graça neste site. A pesquisa revela também quais são os 20 apps mais frequentemente encontrados na homescreen dos brasileiros e quais são os seus favoritos, a partir da pergunta: “Se você só pudesse ter um único app em seu smartphone, qual seria?”. Além disso, revela quais são os serviços de entretenimento móvel com assinatura mensal mais acessados pelos brasileiros e seus games móveis preferidos.

Calculadora, editor de imagem e karaokê entre os mais populares

Na tentativa de identificar quais os títulos pagos mais populares no Brasil atualmente, a pesquisa incluiu dessa vez a seguinte pergunta ao grupo que declarou já ter comprado um app: “Qual foi o último aplicativo que você comprou para o seu smartphone?” O problema é que muitos não se lembravam do nome. 6,2% disseram que não sabiam. E outros 6,2% responderam de forma genérica que havia sido um “jogo”, sem discriminar o nome. Nenhum título registrou proporção superior a 2,5%, o que indica uma grande pulverização do universo de apps pagos. De qualquer forma, a título de curiosidade, foi incluído no relatório a lista dos dez mais citados. A proporção com que foram citados variou de 1,8% a 2,4%, dentre o universo de 345 entrevistados que declararam já ter comprado um app.

É interessante notar a variedade das categorias dos apps pagos mais mencionados: há desde aplicativos de edição de imagens até players de música, passando por uma calculadora de matemática financeira, um launcher e um app de karaokê. O campeão foi o Facetune, aplicativo voltado para a edição de fotos de rosto, vendido a R$ 9,99 na Google Play. O mais caro da lista é o app da calculadora HP 12c, vendido por R$ 47,75. Os entrevistados citaram também apps de modelo freemium, como Spotify e o Sing! Karaokê, e até mesmo o WhatsApp, que hoje é gratuito, mas no passado chegou a cobrar uma assinatura anual. Vale lembrar que o campo de resposta era aberto, para a coleta de respostas espontâneas.

A lista completa dos apps pagos mais citados está no relatório, disponível para download gratuito neste site.

Conteúdo móvel: Apenas 18% dos usuários brasileiros já pagaram por um app