Comércio móvel: Brasileiro gasta em média US$ 4,04 em cada app de compras ao longo de 90 dias

Um dos maiores desafios para desenvolvedores de apps e agências de mobile marketing é prever o LTV (lifetime value), ou valor de vida útil, por usuário. Trata-se de quanto o usuário gera de receita dentro do aplicativo depois de baixá-lo – seja através de compras no app ou pela exposição a propaganda dentro do app. Esse dado é fundamental para que se possa calcular quanto se deve gastar para a aquisição da cada usuário por meio de campanhas de publicidade móvel. A AppsFlyer, em parceria com o Facebook, produziu um relatório comparando o LTV de usuários de seis grandes mercados (Brasil, EUA, Índia, Indonésia, Reino Unidoe. Rússia), em Android e iOS, com downloads orgânicos e não-orgânicos, e em três categorias de apps (compras, jogos e viagens). Mobile Time analisa nesta matéria os dados sobre o segmento de apps de comércio móvel, com foco no mercado brasileiro.

De acordo com o relatório, na média dos seis mercados, o usuário de um app de m-commerce registra um LTV de US$ 13,88 em 90 dias. Além disso, em média, 9,7% dos usuários desses apps fazem alguma compra dentro deles. Esses números combinam tanto usuários que baixaram o app de maneira orgânica (ou seja, espontânea) e não-orgânica (ou seja, estimulados por uma campanha de publicidade móvel).

Há uma diferença significativa de LTV dependendo do sistema operacional do usuário. O LTV em 90 dias entre usuários de iOS em apps de m-commerce é de US$ 19,64, contra US$ 11,49 entre usuários Android, uma diferença de 70% a favor do ecossistema da Apple. O percentual de pagantes é similar nos dois sistemas: 9,8% entre usuários de iOS e 9,6%, em Android.

É significativa também a diferença na comparação entre usuários conquistados de maneira orgânica e não-orgânica. Os primeiros gastam muito mais em apps de m-commerce, com LTV em 90 dias de US$ 20,63, quase três vezes maior que o registrado entre não-orgânicos (US$ 7,1). Entre os orgânicos, 10,9% realizam alguma compra em 90 dias, ante 8,9% dos não-orgânicos.

No Brasil, os usuários conquistados de forma não-orgânica têm LTV em 90 dias de US$ 4,04 em apps de m-commerce. Para efeito de comparação, os resultados de outros países foram os seguintes: Reino Unido (US$ 9,50); EUA (US$ 9,23); Rússia (US$ 6,37); Indonésia (US$ 3,33); Índia (US$ 2,77).

Entre os usuários não-orgânicos no Brasil, 1,8% realizam compras logo no primeiro dia após o download do app; 3,1%, até o terceiro dia; 4%, até o sétimo dia; e 5,6%, até o trigésimo dia. Entre os que realizam alguma compra em 90 dias no Brasil, 48% fazem apenas uma; 18%, duas; 9%, três; e 24%, mais de três compras.

Para a produção do relatório, foram monitoradas 250 milhões de instalações não-orgânicas de 3,8 mil apps na primeira metade de janeiro por meio de 300 parceiros de mídia da AppsFlyer ao redor do mundo. Essas instalações geraram US$ 2,4 bilhões em receita ao longo do primeiro trimestre de 2018.

Pesquisa e MobiShop

Como complemento ao relatório da AppsFlyer e do Facebook recomendamos a leitura da pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box sobre comércio móvel no Brasil, que monitora de seis em seis meses o hábito do brasileiro de comprar através do seu smartphone. O download é gratuito e pode ser feito aqui.

Mobile Time organizará no dia 10 de setembro, no WTC, em São Paulo, a primeira edição do MobiShop, seu seminário dedicado exclusivamente a comércio móvel e pagamento móvel no Brasil. Já estão confirmados como palestrantes: Alessandro Rabello, diretor executivo da Visa no Brasil, e Thiago Chueiri, diretor de desenvolvimento de novos negócios da PayPal no Brasil. Para mais informações, acesse www.mobishop.com.br.

Comércio móvel: Brasileiro gasta em média US$ 4,04 em cada app de compras ao longo de 90 dias