Privacidade: Telegram perde disputa sobre liberação de dados de usuários ao governo russo

O Telegram (Android, iOS, Windows Phone) perdeu uma disputa na Suprema Corte contra a FSB (antiga KGB). Na ação, o aplicativo de mensagens criptografadas pedia para que os magistrados bloqueassem o acesso dos órgãos públicos de segurança russo aos dados de seus usuários, informa a Bloomberg.

A juíza Alla Nazarova rejeitou o pedido da empresa, em algo que pode ser considerado mais uma vitória do governo de Vladimir Putin, uma vez que o presidente russo deseja manter o controle das comunicações eletrônicas no país. O Telegram pretende recorrer, uma vez que a decisão vem como um duro golpe para os planos da companhia em começar a fazer transações com sua criptomoeda, chamada Gram.

Na visão do Telegram, o pedido fere os direitos constitucionais que garantem a privacidade dos russos. Para a FSB, a solicitação não causa danos à constituição, pois nenhuma informação foi solicitada, apenas as chaves de acesso à criptografia.

Caso a companhia não acate a decisão, uma multa será estipulada e pode haver eventual bloqueio de suas funções na Rússia. No entanto, Nazarova ressalta que o qualquer interrupção no serviço de mensagens deve ser feito em ação separada junto à agência de telecomunicações russa Roskomandznor.

O início

O imbróglio começou após a FSB pedir as chaves da criptografia do Telegram ano passado, com base na lei russa de combate ao terrorismo, de 2016. A firma se negou a dar as credenciais e foi multada em aproximadamente US$ 14 mil na época.

Privacidade: Telegram perde disputa sobre liberação de dados de usuários ao governo russo