Fintechs: Plataformas de financiamento alternativo são o tipo mais comum de fintech na América Latina

Pesquisa desenvolvida pelo BID e a Finnovista sobre fintechs na América Latina aponta que as fintechs podem ser divididas em uma série de diferentes segmentos e subsegmentos, gerando uma infinidade de soluções para pequenas e médias empresas, mas também para as pessoas físicas.

Entre os segmentos estão empresas que promovem plataformas de financiamentos alternativos (25,6%); soluções de pagamentos (25,2%); e soluções em gestão e finanças (13,2%). Apenas 8% são de tecnologia voltada para instituições financeiras. No mercado de valores e trading estão 5%. E 9,8% das empresas promovem gestão financeira pessoal.

O desenvolvimento de soluções de pagamento é o segundo segmento de fintech em importância por número de empreendimentos desta natureza. A disponibilidade de mecanismos de pagamento e transferência de dinheiro de forma mais econômica, segura e rápida, bem como uma maior diversidade de plataformas (pagamentos móveis, e-commerce ou mesmo através de novas tecnologias, como blockchain) explica a relevância desse segmento para esses empresários.

Já os gateways e os agregadores dos pagamentos constituem o grupo mais numeroso dentro deste segmento. As necessidades relacionadas com facilitar pagamentos em pontos de venda e comércio eletrônico, aumentar a conversão do cliente e acelerar processos em transações entre empresas e reduzir seus custos, são algumas das oportunidades que os empresários identificaram no mercado. Daí a adoção e o crescimento deste subsegmento nos últimos anos.

O segundo grupo em quantidade de empresas nesta categoria é composto de soluções de pagamento móvel e portfólio. As empresas oferecem soluções para transferência de dinheiro entre pessoas, para compras de produtos ou serviços via celular e registra transações com cartões de débito ou de crédito.

Esses dois grupos representam 79,1% das empresas jovens identificadas no segmento de soluções dos pagamentos na América Latina. O resto é distribuído entre outros tipos de soluções que incluem plataformas para transferências internacionais e remessas, soluções de pagamento móvel em pontos de venda, meios pré-pagos e plataformas para troca de ativos digitais, entre outros.

Exemplos

Entre as inovações apontadas pela pesquisa, os casos do Nubank (Brasil) e Bankaool (México) são destaques. O estudo mostra que essas duas empresas criaram bancos digitais voltados para a telefonia móvel e são cada vez mais importantes nos seus respectivos países. Eles fazem parte do grupo que ainda é novo e, por isso, ainda reduzido, com apenas 10 empresas, mas de enorme potencial para crescer.

Metodologia

O estudo ouviu 393 empresas jovens latino-americanas de tecnologia financeira de 18 países, além de fontes secundárias disponíveis, e de uma investigação prévia realizada pelo BID e por Finnovista.

Fintechs: Plataformas de financiamento alternativo são o tipo mais comum de fintech na América Latina