Finanças: Em dez anos, Apple vendeu 1,2 bilhão de iPhones

Em dez anos desde o lançamento do primeiro iPhone, a Apple acumula 1,2 bilhão de smartphones vendidos, informou o CEO da companhia, Tim Cook, durante a teleconferência sobre os resultados financeiros da empresa no segundo trimestre.

A Apple finalizou o segundo tri de 2017 com uma receita de US$ 45,4 bilhões ante US$ 42,4 bilhões do ano anterior, um aumento de 7%, informou a companhia na noite desta terça-feira, 1º. Por sua vez, os gastos operacionais representaram US$ 6,7 bilhões ante US$ 6 bilhões um ano antes, acréscimo de 11,6%. Ao todo, as vendas internacionais da Apple representaram 61% do faturamento da empresa.

A companhia ainda registrou um incremento de 11,5% no lucro líquido, com uma mudança de US$ 7,7 bilhões para US$ 8,7 bilhões. O lucro operacional, por sua vez, foi de US$ 10,7 bilhões, um crescimento de 6% em comparação aos US$ 10,1 bilhões do 2º tri de 2016.

Os resultados refletem as estimativas apresentada pelo CFO da Apple, Luca Maestri, na prévia durante o 1º trimestre de 2017. Para o próximo relatório, Maestri revela que a Apple espera por uma renda entre US$ 49 bilhões e US$ 52 bilhões, com os gastos operacionais entre US$ 6,7 bilhões e US$ 6,8 bilhões.

Receita por região

As Américas continuam snedo a região com faturamento na Apple, com US$ 20,3 bilhões ante US$ 17,9 bilhões um ano atrás, crescimento de 13%. Por outro lado, a área Ásia-Pacífico (excluindo China e Japão) foi a que mais teve aumento de receita, 15%, com US$ 2,7 bilhões ante US$ 2,3 bilhões.

Os consumidores europeus da fabricante contribuíram com uma renda de US$ 10,6 bilhões, incremento de 11% em relação aos US$ 9,6 bilhões do 2º tri de 2016. Japão teve um aumento de 3% na receita, passando de US$ 3,5 bilhões para US$ 3,6 bilhões. China novamente foi o destaque negativo, com queda de 10% no faturamento, caindo de US$ 8,8 bilhões para US$ 8 bilhões.

Produtos e serviços

Após registrar o 1º tri de 2017 sem aumento nas vendas, o iPhone voltou a crescer. Em receita, o dispositivo teve um incremento de 3%, com US$ 24,8 bilhões ante US$ 24 bilhões um ano antes. Em sua produção, o handset teve um aumento de 2%, subindo de 40,3 milhões de unidades para 41 milhões na comparação ano a ano.

Outro detalhe que chamou a atenção no relatório financeiro foi o crescimento do iPad. Com um incremento de 2%, o faturamento do dispositivo passou de US$ 4,8 bilhões para US$ 4,9 bilhões. Além disso, a Apple aumentou de 9,9 milhões para 11,4 milhões a quantidade de tablets fabricados, um acréscimo de 15%.

Os serviços se destacaram com receita de US$ 7,2 bilhões, crescimento de 22% ante US$ 5,9 bilhões um ano antes. A área, que engloba Apple Music, App Store, assistência aos dispositivos e softwares e o Apple Pay, teve seu crescimento na renda guiado pela loja de aplicativos. Outros produtos (Apple TV, Apple Watch, produtos Beats, iPod e acessórios) tiveram 23% de incremento na receita, com um montante de US$ 2,7 bilhões comparado a US$ 2,2 bilhões um ano antes.

Finanças: Em dez anos, Apple vendeu 1,2 bilhão de iPhones