Comportamento: Bancos e hospitais são as instituições nas quais o consumidor mais confia a gestão de seus dados

As instituições financeiras e de saúde são aquelas nas quais os consumidores móveis mais confiam a gestão de seus dados pessoais, revela o novo relatório global sobre confiança do consumidor, elaborado pelo MEF a partir de entrevistas com 6,5 mil pessoas em dez países. Quando perguntados em quem confiam para gerenciar seus dados, 47% apontaram bancos e cartões de crédito e 46%, médicos e hospitais. O governo ficou em terceiro lugar (27%), seguido por operadoras móveis (22%), utilities (14%), redes sociais (10%), varejistas (10%), ferramentas de buscas online (9%) e empresas de mídia (7%). A pergunta era estimulada, com respostas em múltipla escolha.

Cabe destacar que em primeiro lugar ficou o próprio consumidor, como era de se esperar. 67% responderam que confiam em si mesmos para o gerenciamento de seus dados pessoais. O curioso é saber que outros 33% não confiam em si próprios para a tarefa.

Além disso, 25% dos entrevistados disseram que nunca leem a política de privacidade de um app móvel, enquanto 34% sempre leem e 41% leem de vez em quando.

Dados financeiros

A pesquisa questionou quais tipos de dados os consumidores consideram sensíveis para compartilhamento. Em primeiro lugar ficaram os dados financeiros, citados por 55%. Em seguida vieram fotos e vídeos (39%); contatos pessoais (38%); contatos de amigos e familiares (32%); localização (27%); histórico de mensagens e chamadas (25%); prontuário médico (19%); histórico de compras (19%); histórico de navegação na web (16%); aparelhos conectados (15%); atividades em redes sociais (13%); histórico educacional (8%); e atividades físicas (5%).

Segundo a pesquisa, o maior temor do consumidor é ter sua identidade roubada para o uso em fraudes, apontado por 47% dos entrevistados. 17% disseram que seu maior medo é que suas informações pessoais sejam reveladas ao público e 14%, que sua comunicação seja monitorada por governos ou terceiros.

Comportamento: Bancos e hospitais são as instituições nas quais o consumidor mais confia a gestão de seus dados