WWDC 2017: App Store é repaginada por completo

A Apple redesenhou a sua loja de aplicativos, a App Store, com foco na curadoria por meio de recomendações de seus editores, e tendo como objetivo facilitar a descoberta de novos apps pelos usuários.

Uma das novidades é a aba “Hoje”(Today), que será a primeira a aparecer ao abrir o marketplace. Nela será recomendado um novo app. Ao clicar no card, o consumidor verá todo o histórico da aplicação, descrição, fala do desenvolvedor, análises de outros usuários e, no fim, o preço e a possibilidade de compartilhar o card do app com um amigo.

Outra novidade está nas abas “Games” e “Apps”, que terão recomendações dos editores da App Store, incluindo vídeos e até dicas de uso.  Além disso, o usuário poderá ver quais são os produtos para compra in-app em um aplicativo e verificar de forma mais simples quais atualizações foram feitas em seus apps.

O vice-presidente sênior de marketing mundial da Apple, Philip Schiller, destacou números da loja, como os 500 milhões de visitantes únicos por semana, 180 bilhões de downloads em toda sua história e US$ 70 bilhões pagos aos desenvolvedores desde seu começo em 2008.

‘Desenvolvedores, contemplem!’

 

A Apple também redesenhou a página de produto dos apps. Com isso, o desenvolvedor pode colocar no centro da página o conteúdo que considerar mais importante e que fará um consumidor adquirir seu app. Ele também poderá informar sua posição no ranking da Apple e adicionar cinco fotos e três vídeos que podem ser direcionados para usuários de regiões específicas.

Schiller frisou que nos últimos meses a aprovação de aplicativos dos desenvolvedores ficou mais rápida. Se um ano antes demorava em média duas semanas para aprovar, o executivo explicou que agora demora no máximo 24 horas para aprovação, sendo que em alguns casos a Apple aprovou em até duas horas.

A nova App Store chega junto com o iOS 11. Um modelo do sistema operacional para desenvolvedores já está disponível. A versão beta virá no fim deste mês, e o OS será lançado ao público em geral no segundo semestre de 2017.

Vale lembrar que a estabilidade das receitas de vendas do iPhone trouxeram os holofotes para sua divisão de serviços, em especial para a App Store. Durante a divulgação do relatório financeiro no mês passado, Tim Cook disse: “A receita com serviços ultrapassou US$ 7 bilhões pelo segundo trimestre consecutivo. O momento da App Store é fantástico, com receita crescendo 40% ao ano. A quantidade de desenvolvedores vendendo apps subiu 26% em comparação com 2016”.

WWDC 2017: App Store é repaginada por completo