Componentes: ARM apresenta novos processadores com foco em inteligência artificial

O processamento de dados para soluções relacionadas a inteligência artificial acontecerá parte na nuvem e parte nos aparelhos dos usuários, como seus smartphones. As vantagens de se usar a capacidade dos próprios terminais são a maior garantia de segurança e privacidade, além do ganho em agilidade, pois independem da qualidade da conexão móvel. Para obter um bom resultado, é importante que o processador presente dentro do smartphone tenha sido desenhado desde o início com tal objetivo. É  caso dos novos Cortex A-75 e Cortex A-55, da ARM, que usam a tecnologia DynamIQ, da própria empresa. Os lançamentos fazem parte de uma meta da ARM de oferecer uma performance em inteligência artificial 50 vezes melhor que a atual dentro de três a cinco anos.

O A-75 é voltado para aparelhos high-end e oferece uma performance 50% superior ao seu antecessor. E o A-55 tem como foco a otimização do uso de energia e consegue ser 2,5 vezes mais eficiente que seu antecessor, o A-53.

Os dois processadores utilizam a solução de segurança da empresa, batizada como ARM Trustzone, e estão preparados para atender aos requerimentos de segurança do padrão ADAS de veículos autônomos.

Componentes: ARM apresenta novos processadores com foco em inteligência artificial