Comportamento: Mobile não canibalizou computadores, afirma comScore

Embora o uso do mobile cresça rapidamente no mundo todo, isso não significa necessariamente uma queda no uso de desktops. É o que a diretora geral da comScore no Brasil, Luciana Burger, procurou mostrar com números apresentados em palestra na conferência Rio.Futuro, nesta quinta-feira, 25, no Rio de Janeiro. De 2015 para 2016, cresceu 4% o número de usuários de laptops no mundo e 11% na América Latina. Isso acontece porque ainda há países digitalizando a sua população com computadores. 

“O mobile não canibalizou o desktop, mas adicionou tempo e audiência. Ficamos mais tempo no digital agora. Antes tínhamos momentos on e momentos off. A gente era on quando ligava o computador e depois virava off. Isso não acontece mais. Com mobile ficamos on o tempo inteiro. O mobile nos acompanha no banho, em viagens etc”, comentou Burger.

A comScore estima que haja atualmente no Brasil 81 milhões de usuários de computadores, 76 milhões de usuários de telefones móveis e 109 milhões de usuários multiplataforma.

Tempo digital

De acordo com a comScore, os aplicativos móveis respondem por 65,9% do tempo em que o brasileiro gasta com mídias digitais. A navegação em dispositivos móveis, por sua vez, representa 7,2% do tempo. Ou seja, se somados apps e web móvel, os dispositivos móveis respondem por 73,1% do tempo digital do brasileiro. O desktop, por sua vez, ocupa apenas 22%, e outros devices, 4,9%. Os dados são de dezembro de 2016. Um ano antes, os apps móveis respondiam por menos de 60% do tempo digital do consumidor brasileiro. De acordo com a comScore, neste período, a quantidade de minutos gastos pelos brasileiros em mobile cresceu 232%.

Comportamento: Mobile não canibalizou computadores, afirma comScore