Segurança: Atualização remota de dispositivos deveria ser exigida por regulamentação, sugere CEO da PSafe

Os recentes ataques de hackers a câmeras conectadas, que conseguiram tirar do ar alguns dos maiores sites da Internet, despertaram preocupação no mundo inteiro. Na opinião do CEO da PSafe, Marco DeMello, a possibilidade de atualização remota de dispositivos conectados deveria ser uma exigência regulatória no mundo inteiro, pois é uma garantia de segurança. Existe esse pleito nos EUA. DeMello desconhece que haja tal obrigatoriedade em qualquer país no momento. “É um velho oeste”, afirmou, durante palestra no Tela Viva Móvel, nesta segunda-feira, 15, em São Paulo.

Muitos dos ataques feitos à Internet das Coisas aproveitam vulnerabilidades que poderiam facilmente ser corrigidas com uma atualização remota, inclusive a troca da senha que vem de fábrica, uma das portas mais comuns para invasores. DeMello contou que ele próprio consegue, em menos de cinco minutos, invadir três de cada quatro roteadores Wi-Fique testa. Isso acontece simplesmente porque as pessoas não trocam a senha de administrador que vem de fábrica. E é muito fácil descobrir a senha para cada modelo procurando no Google.

Pior que invadir um roteador Wi-Fi é hackear um carro. E isso já foi demonstrado no exterior, inclusive por especialistas em segurança no evento Black Hat, durante o qual foi tomado o controle à distância de um automóvel conectado que circulava na Califórnia, relatou o executivo.

Segurança: Atualização remota de dispositivos deveria ser exigida por regulamentação, sugere CEO da PSafe