Música: Warner Music: pela primeira vez digital supera metade do faturamento

O Warner Music Group, gravadora de artistas como Ed Sheeran e Bruno Mars, teve um aumento de 11% em suas receitas no primeiro trimestre de 2017, com um resultado US$ 825 milhões ante US$ 745 milhões um ano antes. O lucro operacional da Warner foi de US$ 78 milhões, um incremento de 50% em comparação aos US$ 52 milhões do 1º trimestre de 2016.

Por sua vez, o OIBDA (na tradução do inglês, “lucro operacional antes de impostos, depreciação e amortização”) foi US$ 141 milhões, 11% superior aos US$ 127 milhões do período anterior. Já os custos e despesas da companhia aumentaram 8%, com alteração de US$ 693 milhões para US$ 747 milhões. E o lucro líquido foi de US$ 20 milhões, um crescimento de 67% ante US$ 12 milhões no mesmo período do ano passado.

De acordo com o relatório financeiro publicado pela empresa no final da última semana, a melhora no resultado foi atribu;ido ao serviço de streaming. O faturamento com digital (streaming, downloads e outras mídias) cresceu em ritmo de dois dígitos (22%), com US$ 439 milhões contra US$ 360 milhões no primeiro tri de 2016.

Steve Cooper, CEO do Warner Music Group, explicou que o streaming representa o dobro de sua receita para álbuns físicos e o triplo em relação aos downloads. No documento, o streaming aparece com uma receita de US$ 300 milhões, um crescimento de 45% ante US$ 207 milhões doze meses antes. Por outro lado, a renda com downloads e outras mídias aparece com US$ 100 milhões, uma redução de 17% ante US$ 121 milhões obtidos no 1º tri do ano passado.

Com o incremento das finanças via streaming, a divisão digital representou 53,2% da receita total da Warner no primeiro tri de 2017, sendo a primeira vez na história da com[anhia que o digital respondeu por mais da metade. Um ano antes, a área representava era 48,3% do faturamento geral.

Música: Warner Music: pela primeira vez digital supera metade do faturamento