Conteúdo móvel: Monitoramento do fluxo de assinatura de SVAs no Brasil revela problemas em 25% dos casos

Na busca pela melhoria da oferta de serviços de valor adicionado (SVAs), as operadoras móveis têm investido em soluções de auditoria e monitoramento do ciclo de vida de seus assinantes, para se assegurarem da conformidade de todo o processo. Uma das empresas que se especializou nesse serviço para as teles é a inglesa Empello, que atende tanto operadoras quanto provedores de conteúdo em 20 países. Seu diferencial é conseguir desvendar exatamente de onde veio cada assinante, desde o anúncio que o leva a contratar o SVA. Isso é importante porque boa parte das irregularidades na aquisição de clientes se concentra na publicidade realizada em redes de afiliados, explica Gavin Dent, cofundador e diretor da Empello.

No primeiro trimestre, a Empello realizou 5 mil testes no fluxo de assinatura de SVAs no Brasil e encontrou irregularidades em 25% deles. O País não está entre os piores monitorados pela companhia: Austrália e Egito apresentam percentuais mais alarmantes de não conformidade (55% e 50%, respectivamente). Porém, o Brasil está bastante longe da Inglaterra, onde apenas 4% dos testes revelaram algum problema no primeiro trimestre deste ano. “O Reino Unido não atingiu esse patamar da noite para o dia. Trabalhamos com a Vodafone há quatro anos. Quando começamos, 43% dos testes revelavam alguma irregularidade. Levamos dois anos para alcançar o patamar atual”, relata Dent.

Fraudes

São vários os tipos de problemas encontrados. Há desde banners com conteúdo inadequado para o serviço oferecido  (por exemplo: uma imagem de sexo explícito que leva a um serviço de música) até fraudes em cliques, chamada de “iframe masking”, quando o botão de assinatura de SVA está escondido por trás de outro, como, por exemplo, uma declaração de ser maior de idade. Há também banners com informações equivocadas sobre as condições de contratação, como uma oferta de um período gratuito, mas na verdade a cobrança acontece imediatamente. Isso sem falar em cobrança indevida e contratação sem o devido opt-in.

No Brasil, 90% dos problemas encontrados estão localizados no fluxo da publicidade controlada por redes de afiliados. E 10% estão no ambiente do serviço, embora aconteçam, geralmente, sem a ciência da operadora ou do provedor de conteúdo, mas por manipulação feita por terceiros, como no caso do i-frame masking. Dent faz questão de ressaltar que a maioria das operadoras e de seus provedores de conteúdo são players sérios e desconhecem as fraudes praticadas nas redes de afiliados. Na verdade, nem sequer sabem quem são os afiliados, já que as redes não revelam as suas identidades. Mas a plataforma da Empello aponta os URLs nos quais aconteceram os problemas e a quais redes pertencem, possibilitando que teles e provedores de SVAs tomem a decisão de exigir correções ou até suspender a utilização daquelas com maior incidência de irregularidades.

Como funciona

Para coletar as amostras, a Empello utiliza SIMcards locais em todos os países onde atua. Os dados são analisados tanto automaticamente, por uma plataforma própria, quanto por uma equipe de funcionários em seu escritório em Londres. “Algumas das irregularidades são tão inovadoras que a tecnologia não perceberia. Por isso precisamos de humanos. Alguns afiliados criam comunidades em redes sociais para conquistar usuários. Neste caso só identificamos com monitoramento manual”, comenta o executivo. Para isso, a equipe do escritório londrino é poliglota. Há quatro funcionários que falam português, por exemplo.

A ampla carteira de clientes com presença global também ajuda. Às vezes, um cliente da Empello identifica um problema em determinado mercado e a empresa passa a monitorar esse tipo de fraude nos outros países onde atua.

Os problemas encontrados são classificados de acordo com seu grau de risco (baixo, médio ou alto) e apresentados em relatórios para os clientes. A Empello cobra uma assinatura mensal pelo seu serviço de monitoramento. No Brasil, Gold360 e Upstreams estão entre os seus clientes.

Tela Viva Móvel

Dent fará uma palestra sobre o monitoramento de SVAs no Tela Viva Móvel deste ano. O evento acontecerá nos dias 15 e 16 de maio, no centro de convenções WTC, em São Paulo. Para conhecer a agenda completa do evento e adquirir ingressos, acesse www.telavivamovel.com.br. Ingressos para grupos podem ser adquiridos com descontos pelo telefone 11-318-4619, ou pelo email eventos@mobiletime.com.br.

Conteúdo móvel: Monitoramento do fluxo de assinatura de SVAs no Brasil revela problemas em 25% dos casos