Mensageria: Combate ao SMS pirata eleva tráfego de players homologados na América Central

Até dois anos atrás, o mercado de SMS corporativo (A2P, na sigla em inglês) na América Central era dominado por players não homologados que se aproveitavam de brechas em rotas internacionais para enviar mensagens a preços baixos, sem dividir a receita com as teles. As operadoras, contudo, começaram a investir em mecanismos de controle, bloqueando a entrega de mensagens de texto por essas rotas, o que fez florescer o mercado de integradores homologados que estão conectados diretamente às plataformas de SMS das teles. O relato foi feito a Mobile Time por Alfredo Jones, CEO da Movitext, uma dessas novas integradoras homologadas na região. Fundada em 2015, a Movitext está conectada diretamente com praticamente todas as operadoras da Guatemala, El Salvador, Honduras, Nicarágua, Costa Rica e República Dominicana e vem dobrando o seu volume de mensagens de texto A2P ano a ano.

“Antes o mercado era dominado por rotas internacionais. Em 2015, as teles começaram a implementar firewalls para proteger suas redes, e aí abriu-se a oportunidade para a gente fundar a empresa e ter o crescimento que estamos tendo”, explica Jones. Além da Movitext, há agora pelo menos outros 24 concorrentes homologados na região, diz o executivo. Mas nenhum com a abrangência da Movitext, afirma.

Na carteira de clientes da companhia estão os maiores bancos da região, grandes empresas do varejo e OTTs globais, como Google, Facebook e WhatsApp. “Nosso enfoque é em conexões de qualidade, diretamente com as teles, e suporte 24/7. Muitos dos nossos clientes antes utilizavam rotas internacionais”, relata o executivo.

Jones, agora, está preocupado com a oferta de SMS ilimitado por operadoras da América Central. Ele teme que os antigos players que atuavam em rotas internacionais voltem ao mercado adotando chipeiras. “É incomparavelmente mais barato comprar um pacote de SMS ilimitado para um chip do que comprar tráfego diretamente com a operadora. O problema da chipeira vai ser grande”, prevê.

Valor adicionado

Paralelamente ao disparo de mensagens de texto para o mercado corporativo, a Movitext desenvolve alguns serviços extras. Um deles é uma plataforma de mobile marketing para a criação de campanhas via SMS que redirecionam o usuário para uma landing page. Uma campanha pode ser criada rapidamente, sem a necessidade de conhecimento de programação. As redes de restaurantes KFC e Pizza Hut já experimentaram a novidade e tiveram bons resultados, com taxa de cliques (CTR) acima de 6%, relata.

O próximo passo é a negociação de acordos com as teles para agregar a cobrança reversa de dados para a navegação nas landing pages dessas campanhas. Ou seja, o usuário que clicar no link da mensagem não pagará pelo tráfego de dados, que será bancado pelo anunciante. “Estamos prestes a lançar um primeiro piloto em Honduras e na Costa Rica”, diz. O desenvolvimento da solução de cobrança reversa de dados está sendo feito internamente pela própria Movitext.

Mensageria: Combate ao SMS pirata eleva tráfego de players homologados na América Central