Componentes: Novos smartphones devem chegar com Snapdragon 835 no segundo semestre

O segundo semestre de 2017 pode ter a entrada de novos dispositivos com a plataforma móvel Snapdragon 835, o SoC mais novo da companhia para smartphones premiums. “Acredito que teremos um segundo semestre de boas notícias”, disse o diretor sênior de produtos da Qualcomm, Roberto Medeiros.

O executivo explica que os novos handsets com o equipamento devem chegar entre o final e o começo do quarto trimestre, mas dependerá do pipeline de cada fabricante.

Snapdragon 835

Nesta terça-feira, 4, a Qualcomm apresentou para a imprensa especializada algumas novas funcionalidades do Snapdragon 835, plataforma lançada em janeiro e que atualmente está presente nos smartphones Samsung Galaxy S8 e Sony Xperia XZ.

Foram demonstradas soluções para aprendizado de máquina, vídeo em 4K, reconhecimento de íris, estabilidade de câmera, áudio em alta definição, 4G em velocidade de 1  Gbps, carrier aggregation e aplicações de realidades aumentada e virtual com a tela do celular.

Para o diretor de marketing da empresa, Hélio Oyama, uma das principais vantagens em relação ao modelo Snapdragon 820 é a redução em 25% no consumo de energia. Ele explica que um dos fatores para isso acontecer foi a diminuição de 14 para 10 nanômetros na plataforma 835.      

“A redução do tamanho do 835 – menor que uma moeda de R$ 0,05 – ajudou a reduzir o consumo de energia”, explicou Oyama. “Por outro lado, se você comparar o 820 com o 835, nós tivemos um aumento de 25% de capacidade de processamento de vídeo. Ou seja, eu vejo a curva de consumo diminuir, mas de processamento subir”.

Wi-Fi SON

Outra tecnologia que a Qualcomm mostrou para os jornalistas foi o Wi-Fi SON (Self-Organizing Network), uma solução que é capaz de fazer distribuição de rede com alta capacidade de acesso em locais pequenos, como casas e escritórios. O Wi-Fi SON funciona em padrão “ad”, enquanto as atuais redes wireless funcionam em “ac”. Isto possibilita fazer autoconfiguração, autogestão, cura automática da rede e defesa contra ataques.

A tecnologia foi lançada em janeiro de 2016, mas não chegou ao Brasil e não tem interoperabilidade com outros equipamentos de rede, além de ter um custo alto para o usuário comum.

Mesmo nos Estados Unidos, o preço de equipamentos para a distribuição de rede em uma casa pode variar entre US$ 299 e US$ 499. Parceiros da Qualcomm como Google, Eer, Linksys e Netgear já criaram soluções com essa tecnologia nos EUA.

O que pode vingar?

Sobre quais tecnologias do SoC devem se popularizar, Roberto Medeiros disse a este noticiário acreditar na realidade virtual e na realidade aumentada, além das funções de estabilidade de câmera e, quando entrar no País, o Wi-Fi SON. Contudo, ele ressalta que a possibilidade de novas features serem inseridas no dia a dia do usuário são “infinitas”, uma vez que entre o modelo do Snapdragon 820 de 2016 e o Snapdragon 835 deste ano foram adicionadas 100 funcionalidades.

Sobre o LTE Gigabit, o diretor sênior de produtos acredita que ainda deve demorar entre dois e três anos para a tecnologia avançar. O executivo frisa que dependerá do apoio e do investimento de fabricantes de celulares e operadoras a uma tecnologia que suporte LTE para categorias 12 e 16, capazes de alcançar velocidade de navegação próxima de 1 Gbps.

Componentes: Novos smartphones devem chegar com Snapdragon 835 no segundo semestre