Comércio móvel: App de concierge digital, Netlolo espera ter R$ 7 milhões em vendas durante seu primeiro ano

Recém-chegada ao mercado mobile, a Netlolo (Android, iOS), plataforma criada para intermediar o contato entre pessoas que buscam por melhores produtos e serviços com especialistas que querem tirar dúvidas e aumentar sua renda, espera obter R$ 7 milhões em volume de vendas (GMV) em seu primeiro ano de atuação.

Em formato similar a um concierge digital, a plataforma funciona com um consumidor fazendo questionamento sobre produtos ou serviços que deseja comprar. Do outro lado do “balcão”, o especialista recebe a dúvida em seu smartphone por notificação push e pode começar a conversa em um chat exclusivo ou até por ligação telefônica in-app – com custos pagos pela Netlolo –, enviando informações e links para compras. Importante frisar que cada especialista passa por um criterioso processo de aprovação feito pela equipe da Netlolo, que demora cerca de 48 horas. Entre os questionamentos estão: conhecimento no tema que deseja atuar, entrevista, cadastro, comunicação e desenvoltura para falar com consumidores.

Se o consumidor realizar uma compra a partir da indicação feita dentro do app, a Netlolo recebe uma comissão que é dividida com o especialista na seguinte proporção: 30% para a Netlolo e 70% para o especialista. A comissão da venda pode variar de e-commerce para e-commerce, e de categoria para categoria. O vendedor pode indicar qualquer loja de sua preferencia. Caso haja parceria, há a remuneração. Do contrário, não.

Primeiros passos

Lançada em fevereiro deste ano, a Netlolo já possui 40 mil produtos e serviços cadastrados em sua base e 85% de seus acessos são feitos por usuários mobile – pois a plataforma também funciona em computadores. Ao todo, mais de 100 comércios eletrônicos como Americanas, Submarino, Nike.com, Saraiva, Extra, Fastshop, e lojas parceiras da Lomade fazem parte da plataforma.

De acordo com seu fundador, Fernando Zanatta, o serviço de concierge digital do Netlolo tem potencial de crescimento por não ter rivais diretos em seu segmento.

“A ideia da Netlolo é conectar essa pessoa – especialista que pode ajudar e está na rua com seu dispositivo móvel – com os compradores que precisam de ajuda”, explica Zanatta ao MOBILE TIME. “Têm várias empresas no mercado, com bons profissionais capazes de tirar dúvidas. Mas o grande ponto é que criar essa ideia dentro de uma empresa que é muito fechada. Ela faz apenas para si. O nosso intuito é ser uma plataforma global que ajuda as pessoas”.

A ferramenta ainda utiliza aprendizado de máquina (machine learning) para cadastrar as dúvidas de seu motor de busca em tempo real. O intuito é reunir o máximo de informações para aperfeiçoar o próprio sistema ao longo o tempo. Entre seus próximos desafios, Zanatta – que teve experiências em cargos de liderança no Buscapé e Netshoes – espera que Netlolo melhore sua plataforma de compartilhamento de imagens no chat, para a conversa ter mais fluidez.

Comércio móvel: App de concierge digital, Netlolo espera ter R$ 7 milhões em vendas durante seu primeiro ano