Beleza: Brasil ganha importância dentro da estratégia global da Meitu

O Brasil entrou para o seleto grupo de oito mercados nos quais a desenvolvedora chinesa Meitu possui mais de 10 milhões de usuários. A empresa entrou em operação oficialmente no País em meados do ano passado e adaptou seus principais aplicativos para o público brasileiro. Nos últimos seis meses, sua base de usuários no Brasil cresceu 812%, impulsionada por campanhas de aquisição de clientes e por estratégias de otimização de busca em lojas de aplicativos (ASO, na sigla em inglês), área que é a especialidade da sua diretora de marketing para a América Latina, Ludmilla Veloso.

A Meitu tem como foco aplicativos de embelezamento facial em fotos, retocando ou até aplicando maquiagem virtualmente sobre os rostos dos usuários. Seu carro-chefe no Brasil é o AirBrush, que faz pequenos retoques nas imagens. O País foi o recordista de downloads desse título no ano passado, superando até mesmo a China, mercado natal da Meitu. “Nossa maior vitória foi os chineses entenderem que a beleza brasileira é diferente e que as táticas aqui precisam ser adaptadas”, comenta Veloso. Ela cita o exemplo do bronzeado, que é valorizado por aqui, ao contrário da China, onde as mulheres preferem embraquecer os rostos. Além disso, a variedade da beleza das brasileiras ajudou a melhorar os aplicativos da Meitu, relata a executiva: “Os rostos das brasileiras são muito diferentes entre si. Isso ajudou os chineses a enriquecer o algoritmo”.

O MakeupPlus, seu app de aplicação de maquiagem, vai ser o grande foco da empresa no Brasil em 2017. Ele oferece alguns looks assinados por celebridades, como Paris Hilton. Uma das ideias é incluir este ano looks criados por brasileiras famosas, para atender ao público nacional.

Economia

O Brasil virou um dos focos da empresa chinesa por ser o terceiro maior mercado de beleza do mundo. O setor, tradicionalmente, sofre pouco com recessões econômicas. Todavia, ainda não há planos por parte da Meitu de monetizar no País.

Segundo Veloso, os próximos dois anos ainda terão como prioridade a aquisição de clientes no País. “Somos financiados por dinheiro chinês, então não sentimos as flutuações da economia brasileira na operação. O Brasil está barato para aquisição de usuários. Pelo custo de oportunidade vale a pena. É interessante para o crescimento”, diz a executiva. Além do aumento da base no País, a Meitu vai trabalhar intensamente na construção de sua comunidade local, acrescenta.

No mundo todo a Meitu tem 1,1 bilhão de usuários. A empresa abriu capital recentemente na bolsa de Hong Kong.

Beleza: Brasil ganha importância dentro da estratégia global da Meitu