Acessórios conectados: 15,6% dos norte-americanos usam wearables

O uso de acessórios conectados de vestir, como relógios e pulseiras inteligentes, vem crescendo gradualmente no mundo inteiro. A Kantar Worldpanel faz um acompanhamento trimestral da penetração dos wearables em seis mercados desenvolvidos (EUA, Austrália, Reino Unido, Alemanha, França e Itália). Esse monitoramento comprova o avanço da utilização desses acessórios, a cada três meses.

A pesquisa mais recente, realizada em dezembro, revelou que 15,6% dos norte-americanos vestem um acessório conectado. Em março de 2016, a penetração nos EUA era de 12,2%. O produto mais usado são as pulseiras inteligentes, geralmente associadas ao monitoramento de exercícios físicos e controle da saúde. A penetração de relógios inteligentes especificamente é de 4,2% entre os norte-americanos.

Dentre os países monitorados, aquele com a maior proporção de usuários de wearables é a Austrália: 16,3% da população usa um acessório conectado. Em março do ano passado, a penetração era de 12,7%.

Os mercados com menor utilização de wearables na pesquisa são França e Alemanha, com apenas 6,8% e 7,8%, respectivamente, de penetração. Mas mesmo neles é verificada uma tendência de crescimento. Em março de 2016, as proporções eram de 4,6% na França e 5,4% na Alemanha. Reino Unido e Itália registram proporções intermediárias, com 12,3% e 11,3%, mas também crescentes, na comparação com a primeira pesquisa, em março passado.

Em todos os seis mercados foi registrado aumento da penetração de uso de wearables trimestre a trimestre ao longo de 2016 – a única exceção foi a Itália, que entre as pesquisas de março e junho caiu 0,2 ponto percentual, mas depois voltou a subir.

Acessórios conectados: 15,6% dos norte-americanos usam wearables