Pagamentos móveis: Serviço de pagamento móvel PicPay ganha ares de rede social

O PicPay (Android, iOS) app brasileiro de carteira móvel adicionou características de rede social ao seu serviço. Agora, os usuários do PicPay podem seguir uns aos outros, sendo avisados quando alguém faz ou recebe um pagamento (o valor não é revelado). Cada transação pode ser curtida e/ou comentada pelos seguidores. Cada usuário tem a liberdade de manter seu perfil aberto ou fechado – no primeiro caso, qualquer pessoa pode seguí-lo, no segundo, ele autoriza ou não cada solicitação. E também é possível definir qualque transação como privada, o que a torna invisível para os seguidores.

“Observamos que a maioria dos pagamentos no PicPay são ligados a momentos que as pessoas passam com os amigos, como uma volta no Uber ou o pagamento de um churrasco. Seria mais legal se pudessem compartilhar uns com os outros”, relata Anderson Chamon, co-fundador da Picpay, explicando de onde veio a ideia de adicionar os elementos de rede social. E acrescenta: “o perfil médio do nosso usuário é jovem, de até 33 anos. É gente que nao está acostumada a usar agência bancária. Gente que gosta de tecnologia e é avessa a bancos”.

O PicPay funciona como uma carteira móvel. O usuário pode carregar dinheiro nessa carteira por meio de boleto bancário, cartão de crédito ou recebendo transferências de outros usuários dentro do PicPay. Com o saldo da sua carteira, ele pode realizar pagamentos para outros usuários do serviço, tanto pessoas físicas quanto estabelecimentos comerciais. Todas as transações para pessoas físicas são gratuitas no PicPay, tanto depósitos, quanto saques e transferências. Mas há certos limites, como pagamento máximo de R$ 800 por cartão e a impossibilidade de parcelar recebimentos. A versão profissional não tem nenhum limite, mas os comerciantens pagam uma taxa de 4,89% sobre os valores recebidos. Para fins regulatórios, o PicPay é um arranjo de pagamentos.

Há hoje 7 mil usuários profissionais do PicPay, entre profissionais autônomos e estabelecimentos comerciais, que usam o serviço em substituição à máquina de cartão. A projeção é chegar a 20 mil estabelecimentos comerciais ao fim deste ano, após forte investimento em divulgação e expansão da base, informa Chamon.

Em 2016 os usuários do PicPay movimentaram R$ 70 milhões em transações. Para este ano a projeção é alcançar R$ 500 milhões, afirma o executivo.

Bots

A próxima novidade do PicPay poderá ser um bot para pagamentos dentro do Facebook Messenger. A empresa está conversando sobre essa possibilidade com o Facebook. A expectativa é de lançamento no primeiro semestre deste ano.

Pagamentos móveis: Serviço de pagamento móvel PicPay ganha ares de rede social