Jogos: Game brasileiro de MMA supera 100 mil downloads em 20 dias

O jogo MMA Federation (Android, iOS), publicado pela brasileira Leela Games, superou a marca de 100 mil downloads em apenas 20 dias após o seu lançamento. Chegou a ficar entre os primeiros lugares na categoria de games da App Store no Brasil e na América Latina, após ser recomendado dentro da loja.

O MMA Federation é um game de cartas ambientado no universo de luta MMA. O usuário cria o seu lutador, escolhe dois dentre cinco estilos de luta disponíveis (boxe, jiu-jitsu, kickboxing, MuayThai e Wresting) e monta um baralho (deck) de cartas com seus golpes. As partidas são contra outros usuários reais, de qualquer parte do mundo, e acontecem em turnos. A cada turno, o usuário escolhe um golpe, representado por uma carta, para jogar. A combinação entre as cartas escolhidas por cada lutador gera um resultado de movimentos no ringue. Há cerca de 50 golpes diferentes por estilo de luta. Com o passar do tempo, o jogador melhora seus golpes e ganha novas cartas. Pode até adicionar outros estilos de luta. Há ligas e rankings dentro do game.

Um diferencial positivo do MMA Federation é ter lutadores reais e famosos representados dentro do game e com os quais se pode jogar. Há inclusive uma equipe brasileira, a Nova União, e dez lutadores brasileiros dela. E há uma ring girl brasileira, a Jaqueline Marques, que tem 3 milhões de fãs no Facebook.

O jogo foi originalmente desenvolvido pelo empresa inglesa 360 Studios, que licenciou o código para a Leela Games para a distribuição na América Latina. A Leela cuidou também da tropicalização do jogo, como a inclusão dos lutadores locais.

Modelo de negócios

O game tem download gratuito e conta com vendas in-app. Os usuários podem comprar energia para realizarem mais lutas em menos tempo. E também podem comprar itens para a customização de seus personagens, como roupas, bonés e até tatuagens.

Além disso, a Leela Games pretende explorar publicidade dentro do cenário do jogo. Todos os espaços virtuais podem receber patrocinadores, como o chão do ringue, as camisas dos lutadores etc. Em um primeiro momento foram incluídos no game os patrocinadores atuais da equipe Nova União, como parte do acordo de parceria. Torneios internos também podem ser patrocinados.

Carlos Estigarribia, sócio-fundador da empresa, projeta que 60% da receita do game virá de vendas in-app, 30% de patrocínios e 10% de publicidade fora do ambiente do game, como banners.

“O Brasil é o segundo maior mercado de lutas do mundo”, diz o executivo, justificando o interesse no tema. Ele acredita que MMA Federation pode até virar um esporte eletrônico (e-Sport), algo que tem ganhado força no Brasil, mas ainda não na plataforma móvel.

Jogos: Game brasileiro de MMA supera 100 mil downloads em 20 dias