Balanço financeiro: Tráfego de dados na Oi aumenta 93% entre janeiro de 2015 e setembro de 2016

Entre janeiro de 2015 e setembro de 2016, o tráfego de dados móveis sobre as redes 2G, 3G e 4G da Oi aumentou 93,3%. No mesmo intervalo, o congestionamento de dados na operadora caiu 66,6%, informa a companhia em sua apresentação de resultados do terceiro trimestre. A taxa de queda de conexão de dados era de 0,8% e agora é de 0,21%.

O aumento do tráfego se reflete na receita, embora não na mesma proporção, já que o preço por Megabyte móvel vem caindo. Em um ano, a receita da Oi com dados cresceu 20,5%, passando de R$ 764 milhões no terceiro trimestre de 2015 para R$ 921 milhões no mesmo período deste ano. Com isso, a participação de dados sobre o faturamento da empresa com clientes móveis (excluindo venda de celulares e uso de rede) saltou de 43% para 52% nesse intervalo de tempo.

A receita líquida da Oi com serviços móveis para clientes foi de R$ 1,76 bilhão entre julho e setembro deste ano. No mesmo período do ano passado havia sido de R$ 1,78 bilhão. Ou seja, ficou praticamente estagnada, enquanto a receita com dados seguiu aumentando.

Análise

A participação de dados sobre a receita de serviços móveis gira em torno de 50% em todas as demais grandes operadoras que atuam no Brasil. O País atinge assim uma marca que mercados maduros já haviam alcançado anos atrás. Esse crescimento é impulsionado pelo aumento da base de smartphones e pela popularização de serviços de entretenimento que demandam conexão à Internet e altas velocidades, como streaming de vídeo e de música. Há também o fenômeno de migração de pré-pagos para planos do tipo “controle”, que são uma espécie de plano híbrido, com características de pós e de pré-pago, e que costumam incluir pacotes de dados. Na Oi, a soma da base pós e controle aumentou 0,5% em um ano, enquanto a pré-paga caiu 7,4%.

Balanço financeiro: Tráfego de dados na Oi aumenta 93% entre janeiro de 2015 e setembro de 2016