Construção civil: Saint-Gobain levará realidade aumentada para a construção civil

O grupo Saint-Gobain, um dos maiores do mundo no setor de materiais de construção, detentor de diversas marcas, como Telhanorte, Isover e Cebrace, dentre outras, está passando por um processo de transformação cultural e digital. Um dos seus objetivos é modernizar a experiência que seus consumidores têm com os seus produtos, a partir de novas ferramentas digitais, como aplicativos móveis de realidade aumentada. A operação brasileira está sendo uma das líderes desse processo, tendo realizado recentemente o primeiro hackathon do grupo no mundo, no qual foram premiados três projetos de aplicativos móveis criados por brasileiros, todos pensados para resolver algum problema específico vivenciado atualmente por diferentes subsidiárias da Saint-Gobain.

Para a rede de lojas de materiais de construção Telhanorte foi criado um protótipo de app para a verificação dos produtos a serem entregues nas residências dos clientes, de forma a reduzir as perdas nesse processo. “No momento em que se recolhe o produto no centro de distribuição, é feita uma checagem se está tudo correto, como a quantidade e a qualidade. O código de barras é escaneado e o app mostra a foto do produto, para a checagem. E quando a entrega chega à casa do cliente é feito de novo essa mesma verificação, que é compartilhada com o cliente”, descreve Alberto Silvestre, participante do grupo que desenvolveu essa ideia. O mesmo app traz também um recurso de realidade aumentada para que os consumidores possam visualizar em três dimensões, por sobre a imagem da câmera, alguns dos produtos à venda na loja da Telhanorte. No protótipo foram usados uma mesa, uma porta e uma pia. Para não ocupar a memória do celular dos consumidores, o catálogo não é baixado para o app, ficando na nuvem. Vale lembrar que as lojas da Telhanorte oferecem Wi-Fi gratuito aberto, o que permite a utilização dessa ferramenta sem gastar o plano de dados do usuário.

A Isover, marca de painéis para isolamento térmico e acústico, por sua vez, vai ganhar um app de realidade aumentada com o qual o consumidor poderá visualizar como ficaria na sua casa a implementação de um painel acústico. A inovação é que além de mostrar o resultado decorativo por sobre a imagem da câmera, o app calcula também de quanto será a redução de ruído naquele local com a aplicação do painel. O cálculo de redução de barulho é feito com base na quantidade de painéis instalados e outros dados do espaço em questão fornecidos pelo cliente.

Por fim, a Cebrace, fabricante de vidros para prédios, terá um app para que arquitetos possam testar virtualmente como fica cada modelo de vidro dependendo da luminosidade do dia no endereço do edifício. O processo tradicional é enviar algumas amostras para serem instaladas no local e o cliente precisa acompanhar ao longo de vários dias, em diferentes climas (chuva, sol, nublado) e em diferentes horários (manhã, tarde, noite etc). Tudo isso agora passará a ser virtualizado, dentro do smartphone, com um aplicativo de realidade aumentada. O usuário escolherá o tipo de vidro e depois aplicará filtros de acordo com o clima e a hora do dia, levando em conta a luminosidade média da localização do prédio. O app simulará também como é a visão de dentro e de fora do prédio com o vidro instalado. E, claro, comparará a imagem com e sem o vidro. No protótipo foram incluídos nove filtros diferentes, que representam combinações de horários do dia e variações do clima. Além disso, o app poderá identificar para o cliente qual é o vidro da Cebrace utilizado em prédios por perto, a partir de uma integração com o banco de dados da empresa, no qual há a localização de várias obras que utilizaram seus produtos e os tipos de vidro escolhidos.

Próximos passos

Participaram do hackathon dez grupos de desenvolvedores. Por sorteio, cada um teve que criar uma solução para uma subsidiária diferente do grupo Saint-Gobain. Os critérios para a escolha dos três vencedores foram a aderência ao desafio, a inovação e a viabilidade comercial, relata Fábio Sant’Ana, CDO da Saint-Gobain. O grupo vencedor vai viajar para a França no final do ano para conhecer o presidente global da Saint-Gobain e participar da cerimônia de escolha dos vencedores do hackathon francês.

“Premiamos três grupos, mas a continuidade dos projetos não depende de terem ganhado. O próximo passo é conversar com todos para ver quem quer continuar essa relação conosco ou não. Acho que oito dos dez vão dar continuidade”, diz o executivo. Cabe destacar que o direito intelectual é compartilhado com os grupos desenvolvedores, justamente para estimulá-los a ir adiante com os projetos.

Para aqueles que seguirem em frente, a companhia dará suporte com mentoria. Dentro de três meses, os desenvolvedores precisarão entregar uma parte do app. E após mais três meses será fechado o ciclo com a criação de start-ups e a entrega dos projetos concluídos.

Construção civil: Saint-Gobain levará realidade aumentada para a construção civil