Privacidade: WhatsApp: novos termos incluem troca de dados com Facebook para publicidade

O WhatsApp mudou os termos de serviço e política de privacidade nesta quinta-feira, 25. A empresa começa a informar os usuários sobre a atualização, que inclui não apenas a “preparação” para o lançamento de uma versão do aplicativo para empresas, mas mudanças que refletem a aquisição da empresa pelo Facebook: agora, há uma opção de compartilhar dados entre o aplicativo e a rede social para “melhorar minhas experiências com anúncios e produtos no Facebook”. Os termos de serviço (leia na íntegra) ainda incluem maiores informações sobre a implantação da criptografia de ponta a ponta e de novos recursos, como a chamada por voz e o cliente do WhatsApp para computadores e tablets (que é utilizado em conjunto com o smartphone).

O que a parceria faz, na prática, é permitir a troca de “métricas precisas em relação a com que frequência as pessoas usam nosso aplicativo”. Com isso, há a promessa de “melhores sugestões de amizade e anúncios mais relevantes”. Os usuários existentes poderão escolher não fazer o vínculo entre o Facebook e o WhatsApp – a empresa diz que mesmo os que aceitarem os novos termos poderão escolher a conexão em “30 dias adicionais” acessando Configurações > Conta no aplicativo. A empresa diz ainda que poderá ser mais eficaz no combate ao spam dentro do app de mensagens.

Nos termos, há a expressa confirmação de uso tanto pelo Facebook quanto pelo WhatsApp “para fazer sugestões (por exemplo, de amigos, de contatos ou de conteúdo interessante) e mostrar ofertas e anúncios relevantes”. Diz ainda que servem para “ajudar a operar, executar, aprimorar, entender, personalizar, dar suporte e anunciar nossos serviços e as ofertas deles”.

A companhia ressalta que as mensagens em si permanecem privadas. “Nós, o Facebook ou qualquer outra pessoa estarão impossibilitados de ler as suas mensagens. Nós não iremos publicar ou compartilhar seu número de telefone com terceiros, incluindo no Facebook. Nós também não iremos vender, compartilhar ou disponibilizar o seu número de telefone para anunciantes”, diz o comunicado do WhatsApp.

Dados coletados

O WhatsApp coleta dados de “serviço, diagnóstico e desempenho”. Inclui atividades, “como é sua interação com outros usuários” e “arquivos de registro, além de registros e relatórios de diagnóstico, falhas, website e desempenho”. A empresa coleta dados específicos sobre dispositivo também, incluindo modelo de hardware, dados de sistema operacional, navegador, endereço IP, sobre a rede móvel, número de telefone e até “identificadores do dispositivo”. O usuário está sujeito ainda à entrega de dados de localização – se você compartilha sua localização com usuários, a empresa tem acesso “com o intuito de diagnosticar e solucionar problemas”. Como é de praxe na indústria, há armazenamento de cookies também, inclusive serviços baseados na Web. É importante lembrar também que mesmo se o usuário não autorizar, um contato pode fornecer esses dados, incluindo números de telefone (pelo acesso à agenda e em grupos de mensagens) e localização.

Privacidade: WhatsApp: novos termos incluem troca de dados com Facebook para publicidade