Mercado: Buscapé muda de sede e lançará Buscapé Viagens neste mês

Novo CEO, novo espaço e novos produtos. A Buscapé Company está se reinventando com o meio mobile e a empresa finca os pés neste mês de agosto em novos territórios. Além de mudar sua sede de São Paulo para Santana do Parnaíba, a empresa se prepara para entrar no ramo de viagens e disputar com players como Hotel Urbano, Skyscanner, Momondo e Decolar.

“Nós vamos lançar o site responsivo do Buscapé Viagens no fim deste mês”, revelou Sandoval Martins, CEO do Buscapé, em entrevista exclusiva ao MOBILE TIME. “Vai ter opção de busca por passagens e seguros. Mas não vamos colocar opção de hospedagens e aluguel de carros, por enquanto”.

A companhia, que hoje possui 45% de seu tráfego mobile (com pico de 60% em datas especiais como dia das mães), aposta no desenvolvimento de novos produtos e atualização dos existentes para continuar ativa no mercado. Para isso, busca preencher posições de profissionais de big data e mobile.

Para tal, foi necessária uma mudança de ares. Agora, o Buscapé deixou nesta semana um espaço de 2 mil metros quadrados na Avenida Paulista para outro local de 3 mil metros quadrados em Santana do Parnaíba, ainda na região metropolitana de SP. Contudo, o CEO não esconde que a mudança também envolve redução de custos.

“O primeiro motivo para sair da Paulista: precisávamos de um espaço físico maior. E o outro motivo foi por causa de tributação”, afirmou Martins. “A tributação do ISS cai de 5% em São Paulo para 0,75% aqui. O custo do aluguel também influencia. O metro quadrado custa entre R$ 35 e R$ 45 em Santana do Parnaíba. Já em SP, o metro quadrado possui uma média de R$ 135 na Avenida Paulista, o mais caro da cidade”.

 

Mudança de gestão

Desde abril deste ano no cargo, Sandoval Martins vinha sendo preparado há três anos pelo fundador da empresa, Romero Rodrigues, para assumir a função de CEO do Buscapé substituindo Rodrigo Borer, que saiu para assumir o site Webmotors. Antes, ele foi CFO da empresa e CEO da Naspers América Latina, empresa sul-africana que controla o grupo e outras empresas de mídia.

“Eu era um CFO sênior no Buscapé. Já estava em processo transição para CEO. Eu sempre desejei isso e fui treinado durante três anos pelo Romero”, explicou o gestor. “Pude aprender com ele sobre marketplace, capex, relacionamento com o usuário e outras tratativas da função.”

Como foco inicial, Martins afirma que buscou “fortalecer” e “organizar” sua equipe. Ele revela que até o começo de sua gestão, a maior parte das decisões estratégicas ficavam sob controle de Romero.

Sobre o tráfego, ele ressaltou que dos 45% mobile, 30% são oriundos do site responsivo e 15% do aplicativo. Mas ainda vê o acesso pelo app como “pior” para conversão.

Apps x Responsivo

“Não acho que falta desenvolvimento no mobile. A maioria da população tem smartphones mais simples. Para melhorar, a população tem que migrar para handsets melhores que deem melhor usabilidade”, refletiu. “Quando sai da tela grande para pequena, o consumidor tem dificuldade”, disse o executivo,

“Não é todo mundo que consegue investir R$ 50 mil em um aplicativo ou site resposivo. Os varejistas têm que investir. Quanto mais, melhor, mas o varejista tem dificuldade de investir”, completou.

Próximas etapas

Sandoval Martins ainda revelou as próximas etapas de produtos que serão lançadas em breve pelo Buscapé. A empresa está desenvolvendo tecnologia de chatbot para rse elacionar com o internauta, mas ele relata que não é “disruptiva”. O gestor aposta inicialmente no one-click-shop, opção de compra com um clique.

“Já estamos bem avançados com o one-click-shop. Algumas lojas já têm. E até metade do próximo ano estará próximo de todo o mercado”, disse. “Eu tenho um consumidor pronto para uma compra, ele já está comigo. Eu apenas preciso facilitar para ele comprar”.

Mercado: Buscapé muda de sede e lançará Buscapé Viagens neste mês