Transporte público: Pulseira é testada no Rio como bilhete para ônibus, metrô, trem e barcas

Está sendo testada no Rio de Janeiro uma pulseira e um adesivo que substituem o Riocard, cartão eletrônico que armazena créditos para uso no transporte público do estado – ônibus, metrô, barcas e trens. 15 unidades da pulseira e do adesivo produzidas pela Gemalto foram distribuídas a funcionários que trabalham no sistema Riocard, mantido pela Fetranspor (Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro). A ideia é testar a solução, do ponto de vista técnico e de usabilidade, ao longo de três meses. Também serão realizados grupos focais para avaliar o conceito.

A pulseira é à prova d’água. Dentro dela é inserido um minicartão Riocard que pode ser recarregado pela web, através do site Recarga Fácil, ou pelo internet banking do Itaú. O adesivo, por sua vez, também contém um minicartão Riocard e pode ser colado atrás do smartphone ou de qualquer outro objeto com superfície plana e lisa. Tanto a pulseira quanto o adesivo trabalham com o protocolo Mifare de comunicação por aproximação, o mesmo usado nas catracas dos veículos de transporte público do Rio de Janeiro.

Cabe destacar que nem a pulseira nem o adesivo são conectados à Internet. Os créditos de uma recarga são gravados neles depois que aproximados de um validador presente em qualquer uma das catracas de trens, metrôs, ônibus e barcas. Os validadores, sim, são conectados à Internet – no caso dos ônibus a conexão é feita na garagem, à noite, via Wi-Fi, quando então é baixada a atualização do Riocard. Por enquanto não é possível recarregar a pulseira ou o adesivo nas máquinas de recarga manual porque elas requerem a inserção do cartão de tamanho padrão e não operam ainda com recarga sem contato.

“A pulseira nao vai substituir os cartões Riocard, mas é mais uma opção para o público jovem. O carioca mora em uma cidade litorânea, com praia, piscina etc. Tem gente que vai à praia e leva só carteira de identidade e dinheiro. Para eles, a pulseira seria uma opção”, diz Melissa Sartori, gerente de marketing da Riocard. “Também é interessante para pessoas distraídas, porque é mais díficil de perder que o cartão”, acrescenta.

Este é o segundo anúncio em menos de duas semanas de uso de pulseiras da Gemalto para transporte público no mundo. A cidade francesa de Lille adotou o acessório durante a Eurocopa 2016, mas no seu caso o protocolo de comunicação é o Calypso.

Na sexta-feira passada, 17, Bradesco e Visa anunciaram o lançamento de uma pulseira para pagamentos durante as Olimpíadas do Rio. O projeto também usa uma solução da Gemalto, mas, neste caso, com NFC, para ser compatível com 1,5 milhão de máquinas de POS espalhadas pelo Brasil.

Transporte público: Pulseira é testada no Rio como bilhete para ônibus, metrô, trem e barcas