Bots: WhatsApp: uso pelos brasileiros revela potencial para adoção de bots

Quão receptivos seriam os brasileiros para conversar com robôs dentro de apps de comunicação instantânea? Ainda não sabemos. Mas uma coisa é certa: os brasileiros já estão utilizando o WhatsApp, por exemplo, para solicitar uma série de serviços que, no futuro, poderão ser atendidos por chatbots. Isso ficou claro nos resultados da mais nova pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box – Comércio Móvel no Brasil, cujo relatório será disponibilizado na próxima quarta-feira, 20, para download gratuito.

Tal como na edição anterior, a pesquisa incluiu perguntas sobre o uso de apps de comércio móvel de quatro categorias específicas cuja utilização está mais madura no Brasil: chamada de táxi, delivery de refeição, reserva de hospedagem e compra de ingressos para eventos. Em todas elas, foi solicitado aos entrevistados que citassem livremente qual o app que usam com mais frequência para cada finalidade. Chamou a atenção a presença do WhatsApp entre os primeiros colocados em três dessas categorias.

Em delivery de comida, 8% dos entrevistados que costumam pedir refeição pelo smartphone responderam que o fazem principalmente através do WhatsApp. O aplicativo de comunicação instantânea fica em terceiro lugar, atrás apenas dos líderes iFood e PedidosJá, e na frente de outros apps dedicados a esse mercado, como HelloFood. A explicação é que há restaurantes e até mesmo serviços de quentinha que atendem seus consumidores através do WhatsApp.

Para chamada de táxi, 2% disseram fazê-lo principalmente pelo WhatsApp. E para reserva de hospedagem, 2% usam o aplicativo de mensagens. Novamente, a explicação está na adoção desse canal por taxistas autônomos com sua clientela fiel e por pousadas e hotéis de pequeno porte.

Bots no mundo

Há uma tendência mundial de os principais aplicativos de mensagens instantâneas abrirem APIs este ano para a construção de chatbots – robôs criados por marcas ou empresas para conversar diretamente com os consumidores através dos apps de mensagem e atender a pedidos, como uma chamada de táxi, uma entrega de pizza ou uma reserva de hotel.

Skype, Messenger, Kik e Slack já aderiram à novidade. O WhatsApp ainda não. Mas se mesmo sem permitir chatbots ele já está sendo naturalmente usado para comércio móvel, quando (e se) o WhatsApp abrir uma API com essa finalidade, haverá uma adoção imediata. Vale lembrar que de acordo com a pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box – Uso de Apps no Brasil, o WhatsApp é atualmente o aplicativo mais presente na homescreen dos smartphones do País (está em 84,7% deles) e é o aplicativo favorito do brasileiro (se só pudesse ter um aplicativo, 44,9% dos brasileiros escolheria o WhatsApp).

MOBILE TIME está publicando uma série de matérias sobre chatbots. Esta é a terceira delas – leias as duas primeiras nos links abaixo.

Bots: WhatsApp: uso pelos brasileiros revela potencial para adoção de bots