Handsets: Eldorado investe quase R$ 20 milhões em laboratório de testes de IPv6

O Instituto Eldorado investiu entre R$ 15 milhões e R$ 20 milhões na montagem de um laboratório para testes de conformidade de aparelhos com IPv6, novo protocolo mundial de endereçamento IP que vai substituir gradativamente o atual IPv4. O Brasil é o primeiro país do mundo a tornar obrigatória a certificação de IPv6, o que foi determinado pela Anatel. A expectativa do instituto é de que este ano surja a demanda por certificação dos primeiros modelos de smartphones, roteadores e outros aparelhos eletrônicos com IPv6 no País.

O investimento na adequação do seu laboratório para testes de IPv6 foi feito com a compra de hardware e softwares especializados. “É uma tecnologia recente e por isso as licenças de software são caras”, explica Joaquim Carlos, gerente de laboratórios de desenvolvimento e homologação do Eldorado.

No laboratório, são verificadas todas as camadas de comunicação do aparelho em IPv6. A expectativa é de que o teste de cada dispositivo leve alguns dias para ser concluído. “O que muda agora é que há uma quantidade muito maior de endereços IP. É como se antes fosse um copo de água e agora um oceano. Teremos muito mais informações rodando em paralelo. Muda todo o mapeamento de endereçamento de IPs”, diz Carlos.

O IPv6 foi adotado porque a quantidade de endereços IP no protocolo IPv4 está acabando no mundo. Com a explosão de vendas de smartphones e as projeções de bilhões de objetos conectados com a onda de Internet das Coisas, era necessário adotar endereços mais longos, para expandir o limite.

Handsets: Eldorado investe quase R$ 20 milhões em laboratório de testes de IPv6