Infraestrutura: Small cells servirão para localização indoor e publicidade

Uma das tendências em infraestrutura móvel é a adoção das chamadas “small cells”, ou antenas de pequeno porte, especialmente em ambientes fechados com grande concentração de pessoas, como shoppings, aeroportos, estádios etc. Na tentativa de convencer as operadoras da necessidade desse investimento, os fornecedores acenam para a possibilidade de lançamentos de serviços de valor adicionado sobre a rede de small cells, como localização e navegação indoor, assim como a entrega de publicidade personalizada, de acordo com o posicionamento da pessoa dentro de um prédio. Essa é uma das tendências para o futuro das small cells, diz o COO da Huawei para small cells e Wi-Fi, George Zhao, que esteve nesta terça-feira, 15, no Rio de Janeiro para o evento SCWS Latam.

O executivo apontou algumas das vantagens das small cells sobre outras tecnologias para localização em ambientes fechados, como beacons e Wi-Fi. “O problema dos beacons é que eles dependem do Bluetooth e menos de 25% dos usuários no mundo deixam seu smartphone com o Bluetooth aberto. Já o Wi-Fi depende de as pessoas terem a senha e fazerem o login. O 4G, por sua vez, está sempre aberto e sua performance é melhor”, argumentou Zhao. Cabe lembrar ainda que as células de pequeno porte são gerenciadas pelas operadoras móveis, não pelos administradores dos espaços onde são instaladas. Isso dá às teles a oportunidade de criar serviços de valor adicionado baseados em localização indoor. Além de navegação e publicidade, outro serviço em potencial é a análise de movimentação de pessoas em espaços fechados.

“Small cells abrem novos modelos de negócios e um novo ecossistema para as teles”, disse Ray Wiliamsom, diretor de gerenciamento de produtos da Huawei, outro executivo da companhia chinesa presente no evento. Ele acredita que as teles poderão fechar acordos no futuro com construtoras, para garantir a instalação de small cells em novos prédios, eventualmente formando acordos de compartilhamento de receita com serviços de valor adicionado sobre essa rede.

“Em 2014, menos de 5% dos grandes edifícios públicos do mundo, como universidades, shoppings e estádios, contavam com um sistema de cobertura móvel indoor. O sinal de celular chegava dentro deles através de macrocélulas externas. O problema é que 80% do tráfego móvel acontece em ambientes fechados. Há uma oportunidade enorme. A cobertura indoor vai se tornar um serviço essencial para qualquer prédio, como eletricidade e água”, disse Wiliamsom.

A Huawei comercializou em 2015 cerca de 300 mil unidades de small cells no mundo. O volume vem crescendo 50% ao ano.

Infraestrutura: Small cells servirão para localização indoor e publicidade