Artigo: Análise: Zenfone Selfie é a melhor opção para quem gosta de tirar autorretratos

A selfie é a nova mania dos fabricantes de smartphones para atingir o público jovem, que gosta de tirar fotos em grupos – algo que alguns já chamam de “wefie”.  É o caso do novo Asus Zenfone Selfie, que integra a família encabeçada pelo Zenfone 2 e tem uma potente câmera na parte frontal.

Seu design é baseado no Zenfone 2, mas diferentemente do principal handset da fabricante de Taiwan, o Selfie não possui as ranhuras que o deixam mais fácil de pegar ergonomicamente. Ainda estão contra ele as 170 gramas de peso e sua espessura 10.8 mm. Seu rival direto, o Samsung A7 possui 141 gramas de peso e 6.3 mm de espessura.

Sobre a performance, o handset peca um pouco e teve algumas “engasgadas” com necessidade de reinicialização do aparelho e falhas em apps, mesmo com 3 GB de RAM e 32 GB de armazenamento. A diferença entre ele o Zenfone 2 é clara nesse quesito, e o culpado pode ser o processador Qualcomm Snapdragon 615 de 1.5 GHz.

Em vários momentos durante o teste foi possível sentir um aquecimento no processador, ao rodar mais de cinco apps ou mesmo durante uma gravação em alta qualidade de vídeo com a câmera traseira.

Câmera ao gosto do cliente

Por outro lado, o principal atrativo do Zenfone Selfie é a câmera frontal de 13 megapixels. Não há melhor smartphone de preço médio com câmera de selfie no Brasil. No exterior, apenas os smartphones da HTC podem se comparar em câmera. E, o fato que de usar um flash em LED com dois tons de cores, ajuda bastante no embelezamento e na fidelização de imagens – me desculpem os defensores da luz branca na tela para imitar o flash, como Quantum Go e Moto G 3ª geração, mas flash de verdade é outra história.

Para os mais vaidosos, a função embelezamento é bem atrativa com torneamento de bochechas, clareamento de pele, blush e delineador de olhos. Ainda existe a opção de selfie panorâmica, que usa em toda sua capacidade a abertura de lente f/ 2.0. Porém, o smartphone é muito relevante para fazer ligações de vídeo via Skype, Víber e Hangout+. A câmera traseira de 13 megapixels, por sua vez, possui a mesma tecnologia do Zenfone 2 e Zenfone Laser. Ou seja, é um reprodutor de imagens muito bom em ambientes externos, mas peca um pouco em ambientes internos com pouca luz.

Consumo de conteúdo e bateria

Assim como acontece com o smartphone principal da Asus, o Zenfone Selfie é um bom smartphone para consumo de conteúdo. Sua tela Full HD de 5.5 polegadas permite ao usuário assistir boa parte de uma temporada na Netflix, algo similar aos dez capítulos da série Narcos em alta definição – sem paradas – ou algumas boas horas no YouTube.

A bateria de 3.000 mAh suporta em uso misto (telefone, consumo de conteúdo e uso de apps de conversação/mídias sociais) aproximadamente 12 horas de uso. No entanto, chama a atenção que uma carga leve através de um carregador externo de 10.000 mAh dá um apoio por mais 6 horas com apenas meia hora de carga.

Resumo

Avaliado em R$ 1.299, o Zenfone Selfie cumpre o seu propósito. Ser um smartphone para o público jovem e, pela seleção de cores (branco, azul turquesa e rosa) mira um público que busca algo diferente em seu design.

O usuário do Zenfone Selfie não é o mais comum deste universo. Ele quer um smartphone bom, mas não precisa de 4GB de RAM ou um octa-core. É um smartphone para aqueles que gostam de tirar fotos de todos os modos e usar as funcionalidades do celular em mãos – algo que a Asus entrega muito bem, mas em alguns casos exagera com a quantidade de apps próprios pré-instalados.

Agora, para os usuários que procuram por desempenho e não ligam tanto para a câmera, o Zenfone 2 é uma boa opção e a diferença de preço entre os dois não é tão grande.

Artigo: Análise: Zenfone Selfie é a melhor opção para quem gosta de tirar autorretratos